Lesões na Pele Relacionadas ao Micropore

Entenda um pouco sobre elas e como é o tratamento médico:


Maceração, dermatite de contato irritativa e lesão por fricção são exemplos comuns, mas evitáveis, de lesões relacionadas ao micropore.

A maneira de aplicá-los e removê-los, podem ter um impacto sério, não apenas nos resultados clínicos, mas também na experiência do paciente.




Dermatite de contato alérgica

Resposta celular imunológica a um componente da fita adesiva ou do seu dorso. Aparece geralmente como uma área de eritema, vesícula e prurido que pode ir além da área exposta, podendo persistir por até uma semana.





Dermatite de contato irritativa

Dermatite que ocorre como resultado do contato direto da pele com irritante químico. Possui área afetada bem definida e que se correlaciona com a área de exposição. Pode apresentar-se hiperemiada, edemaciada e com presença de vesículas. Geralmente é de curta duração.






Descascamento da pele

Remoção de uma ou mais camadas de estrato córneo após a retirada de uma fita adesiva ou curativo. As lesões são frequentemente rasas, com formas irregulares, e a pele pode parecer brilhante. As lesões abertas podem ser acompanhadas por eritema e formação de bolhas.





Lesão por tensão

Lesão (separação entre epiderme e derme) causada por rompimento da pele, como resultado da sua distensão sob uma fita adesiva ou curativo inflexível, da fixação inadequada da fita ou curativo durante a aplicação ou quando uma articulação ou outra área de movimento está coberta por uma fita inflexível.





Lesão por Fricção

Ferida traumática causada pela laceração , fricção e/ou uso de força mecânica que resulta na separação das camadas da pele. Pode ser de espessura total ou parcial.




Maceração

Alterações da pele resultante do contato direto e prolongado da pele com a umidade. A pele aparece enrugada e branca ou acinzentada. O amolecimento da pele resulta em um aumento da permeabilidade e suscetibilidade ao dano por fricção ou produtos irritantes.




Foliculite

Reação inflamatória no folículo piloso causada pela remoção do pelo de forma inadequada ou atrito. Aparecem como pequenas elevações inflamadas da pele em torno do folículo piloso. Podem se manifestar por meio de pápulas ou pústulas.




Tratamento dessas lesões


Aplique princípios de tratamento de feridas com base orientações do seu médico.

Apesar do agente causador dessas lesões ser o micropore a abordagem do tratamento é diferente por isso tão importante o diagnóstico médico.

Após uma avaliação inicial para determinar a gravidade da lesão relacionada ao adesivo, a ferida deve ser limpa com uma solução não citotóxica para remover resíduos de adesivo, bactérias e detritos celulares. Posteriormente, uma terapia que suporte a cicatrização úmida de feridas deve ser aplicada. A dermatite de contato irritante pode ser gerenciada com o uso de hidratantes ricos em lipídios para melhorar a barreira cutânea danificada e o uso de compressas frias para inflamação aguda. Embora os esteroides tópicos sejam freqüentemente usados ​​inicialmente para controlar a inflamação nesta forma de dermatite, há alguma evidência de que eles podem comprometer a função de barreira e alguns recomendam que os esteroides sejam evitados. A foliculite deve ser tratada com higiene adequada da pele e antibióticos tópicos e / ou orais, conforme necessário. Se um MARSI não responder ao tratamento conservador dentro de 7 dias ou se a ferida se deteriorar apesar dos cuidados conservadores, deve ser consultado um especialista em cuidados com a pele ou os ferimentos.


Referência

1-www.3m.com.br

2-Laurie McNichol Carolyn Lund Ted Rosen Mikel GrayMedical; Adhesives and Patient Safety: State of the Science Consensus Statements for the Assessment, Prevention, and Treatment of Adhesive-Related Skin Injuries. J Wound Ostomy Continence Nurs. 2013;40(4):1-15 Published by Lippincott Williams & Wilkins

2.911 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo